Category Archives: Entrevista de emprego

  • 0
tie-690084

Em que você deve (e não deve) se concentrar antes de uma entrevista de emprego

tie-690084

Por: Karen Dillon

Anos atrás, quando eu seria entrevistada para o cargo de editora-adjunta da Harvard Business Review, eu pensei que tinha cuidadosamente me preparado para o meu dia inteiro de entrevistas. Eu tinha meu terno favorito lavado a seco e pronto para ir. Eu levei a minha filha mais velha (uma notória má dorminhoca) para a casa dos meus pais, para que eu pudesse contar com uma noite de sono completa. Eu até mesmo fiz um ensaio do percurso desconhecido para o escritório no domingo antes da minha entrevista. Eu estava pronta para qualquer coisa.

Ou era o que eu pensava. Na noite anterior à entrevista, minha filha mais nova, que normalmente dorme como uma pedra, começou a dentição e chorou continuamente. Longe de estar bem descansada na parte da manhã, de alguma forma consegui fazer um buraco no terno quando eu tentei cortar o embrulho do plástico de limpeza a seco. Com o meu segundo terno favorito, eu saí pela porta com as minhas direções do trajeto em mãos (isto foi pré-GPS!). Infelizmente, o mapa me levou para uma rota pesadamente engarrafada – algo que eu não tinha encontrado em meu ensaio de percurso no domingo. Depois de ficar no transito de para-choques contra para-choques, eu cheguei à entrevista com certamente meia hora de atraso – e seriamente irritada com a minha série de contratempos.

Em retrospectiva, eu posso rir do que aconteceu (especialmente porque que eu consegui o emprego), mas também percebo que eu tinha focado em todas as coisas erradas: logística e detalhes em vez do essencial. Esse erro poderia ter arruinado facilmente o que seria uma das oportunidades de emprego mais importantes da minha carreira.

O estresse a respeito de entrevistas de emprego parece um dado para a maioria de nós. E muitas vezes não facilitamos para nós mesmos já que nos dirigimos para estes momentos críticos com apenas uma escassa quantidade de preparação. “Mesmo as pessoas relativamente inteligentes não se preparam muito bem para entrevistas”, diz John Lees, autor de The Interview Expert: How to Get the Job You Want. Em vez disso, nós improvisamos. E isso acaba nos deixando nervosos justamente no momento em que mais estamos tentando impressionar. E, como Lees ressalta, “o nervosismo está intimamente relacionado ao desempenho inferior”.

Então, como você controla o stress inevitável de uma entrevista de emprego e prepara-se corretamente?

“Prepare-se ainda mais minuciosamente do que você acha que é necessário”, Lees aconselha. Você pode ser perfeitamente qualificado no papel, mas apresentar o seu melhor eu na sala de entrevista – alguém que está energizado e relaxado e seja fácil de trabalhar – é o desempenho ensaiado. Aqui está como Lees aconselha você a evitar o nervosismo na entrevista:

Desenvolva um script real. A maioria das perguntas de entrevista é totalmente previsível, diz ele. Você provavelmente pode rascunhar as 10 ou 12 coisas que você será perguntado. Porque devemos contratá-lo? Por que você se encaixa nesse papel? Eu observo algumas lacunas no seu currículo … e assim por diante. Pratique respostas para essas perguntas. Realmente diga as em voz alta. Não é o suficiente apenas pensar sobre como você vai responder grosso modo. Lees chama isso de “falsa preparação”. Realmente faça. “É praticamente a construção de pequenas narrativas”, diz Lees, para que você tenha respostas prontas e você estará livre para estar muito mais presente na sala de entrevistas. Além disso, você provavelmente dará respostas muito mais sucintas e impressionáveis. Lembre-se que o entrevistador precisa aprender um bocado sobre você em um curto espaço de tempo. Se você divagar com uma ou duas respostas, você poderá usar todo o seu tempo e você correrá o risco de se sair como um chato egoísta.

Prepare-se para as perguntas que você quer evitar. Se houver algo em seu currículo que você prefere não destacar, as chances são de que o seu entrevistador ficará curioso a respeito. Você terá uma chance melhor de mover-se rapidamente pelo tópico se você praticar sua resposta antecipadamente. “Mantenha-a curta e otimista”, Lees aconselha. Digamos que você foi demitido. Você pode dizer algo como: “Como centenas de outras pessoas, eu perdi minha função quando a empresa reduziu o quadro. Mas isso me deu uma chance de olhar para as habilidades que desenvolvi e identificar novas áreas de crescimento.” Mude sua resposta do passado para o presente e manter a conversa em um lugar confortável.

Se você for jogado em um “loop” por uma pergunta, pare um minuto para pensar sobre como você vai responder antes de respondê-la. Introvertidos, Lees aponta, muitas vezes precisam de tempo para processar uma pergunta. Você pode ganhar tempo resumindo a questão ou esboçando-a do seu próprio jeito. “Essa é uma ótima pergunta. Quando eu responder, vou discutir … “A pior coisa que você pode fazer é agir ou parecer nervoso. Isso comunica incompetência. Se você precisar, diga ao entrevistador: “Deixe-me pensar sobre isso por um minuto …” e, em seguida, apenas responda quando estiver pronto.

Certifique-se de que você está realmente ouvindo. Quando as pessoas estão nervosas, elas tendem a se concentrar em si mesmas, o que elas estão dizendo, como elas estão respondendo. Porém, a ansiedade pode ser um bloqueador que impede você de ouvir, ou faz você perder algo vital que seu entrevistador acabou de perguntar. Tente desacelerar-se, tendo respirações lentas e focando as palavras do entrevistador, não as suas ruminações. Se for uma pergunta complicada, é OK repeti-la e, em seguida, perguntar: “Eu entendi isso direito?” Antes de começar a responder.

Invente uma conferência por telefone para se dar uma pausa. Um dos meus ex-chefes uma vez deu uma excelente dica. Se você está agendado para entrevistas consecutivas, informe ao seu contato com antecedência que você tem uma conferência por telefone que você deve participar e pergunta se existe uma sala privada para você fazer isso. Isso permitirá que você tenha uma pequena pausa da intensidade de estar “ligado(a)” por várias horas seguidas. Este truque é especialmente útil para os introvertidos, mas pode ajudar qualquer um que pode igualmente sentir-se esgotado(a) de um longo cronograma de entrevistas (e quem não fica?).

Faça um “pre-script” de suas próprias perguntas. Você sabe que será perguntado pelo entrevistador se tem alguma dúvida. “Não” é sempre a resposta errada. Tenha uma ou duas boas perguntas prontas sobre o futuro da companhia ou sobre o futuro da posição sobre a qual você está sendo entrevistado (a).

Peça a um amigo de confiança para simular uma entrevista com você – e grave-a. Se há alguém em sua vida com experiência de entrevistas no mundo real, peça-lhe para praticar com você. Mas vocês dois têm que levar isso a sério. É um ótimo ensaio. Lees sugere a gravação em vídeo da entrevista (sua câmera do telefone provavelmente fará está proeza) – e, em seguida, assisti-la sem o som. A linguagem corporal pode ser um componente crítico de sua entrevista e “você verá como se apresenta”, diz ele. Com a prática, você tem a chance de observar e corrigir suas mensagens não-verbais antes de você estar na berlinda.

Naturalmente, estar nervoso é normal, mas não ignore o nervosismo. Em vez disso, esteja tão pronto quanto possível, fazendo o trabalho da entrevista bem antes de entrar na sala, diz Lees. E ele sugere que você ignore qualquer um que tente acalmar seus nervos dizendo-lhe “Apenas seja você mesmo.” É claro que você quer ser autêntico, mas você não quer apresentar uma versão ansiosa e de palma da mão suada de si mesmo. Você quer ser a melhor versão de você – calmo, confiante e preparado.

Karen Dillon é a ex-editora da Harvard Business Review e co-autora de Competing Against Luck: The Story of Innovation and Customer Choice (HarperBusiness/HarperCollins, October 2016).
Texto traduzido por: Thaís Canto
Texto original em inglês publicado por Harvard Business Review: Acesse aqui

______________________________________________________________________________________________________________________________________

Praticando o que aprendeu!

Se você deseja ter uma orientação personalizada em relação ao seu currículo e a como se preparar para uma entrevista, pode contar com a minha consultoria personalizada. Ao contratar os serviços de “Consultoria personalizada para elaboração/revisão de currículo” e “Preparação e simulação de entrevista”, você pagará apenas R$ 120,00* pelos dois serviços juntos. Estes serviços são feitos por Skype.

Para contratar o “combo” ou tirar dúvidas sobre os serviços, você deverá entrar neste link aqui, preencher o formulário com seu nome, e-mail e preencher o campo mensagem com os melhores horários (manhã, tarde ou noite) e dias da semana para o encontro por Skype!

*Valores de referência: estes serviços individualmente custam R$ 85,00 e R$ 55,00, respectivamente.

Crédito da Imagem: Pixabay


  • 0
3-motivos-pelos-quais-as-empresas-nao-dao-uma-resposta-aos-candidatos

[SUPERELA] 3 motivos pelos quais as empresas não dão uma resposta aos candidatos

3-motivos-pelos-quais-as-empresas-nao-dao-uma-resposta-aos-candidatos

“Já cansei de participar de processos seletivos onde o entrevistador me diz que vai dar retorno e nunca dá. Eu só queria saber por que essas malditas empresas não dão retorno para os candidatos?”

Esse questionamento é bastante comum e, obviamente, entendo os motivos de muitas pessoas se sentirem chateadas com a situação. Eu mesma já passei por isso inúmeras vezes e sei quanta expectativa e ansiedade a participação em um processo seletivo gera.

Se ao acessar este texto você imaginava encontrar alguém reclamando das empresas e RH’s em geral, vou te decepcionar um pouco, pois essa não é minha intenção. Quero te ajudar a entender brevemente o que acontece do outro lado (RH/empresa) para que você possa lidar de maneira mais adequada com essa situação.

O início da angustia e ansiedade acontece quando se envia o currículo para uma empresa tendo ela uma vaga no seu perfil ou não. “Será que eles receberam?” “Será que já leram?” “Será que tem alguma vaga para mim?” “Será que me chamarão para o processo seletivo?” Será… Será… Será…

Neste momento é comum alguns candidatos esperarem que a empresa dê algum retorno sobre o CV que foi enviado. E elas nunca dão e já te digo que será muito difícil elas retornarem, a não ser quando tem uma resposta automática configurada no e-mail exclusivo para receber CV ou no site de cadastramento. Se receber alguma resposta nessa situação será apenas automática. Se não for automática, considere-se um premiado, pois isso é bastante raro.

O motivo para as empresas não darem retorno nesse primeiro contato é que simplesmente não dá tempo devido ao volume de candidaturas recebidas. Em empresas de médio e grande porte o volume de currículos recebidos por dia beira às centenas. Mesmo quando é divulgada uma vaga específica, a quantidade recebida é alta e muitos candidatos insistem em se candidatar a vagas totalmente fora do perfil. Por exemplo, numa vaga de engenheiro existem pessoas que se candidatam, mas tem experiência e formação na área financeira (!?).

Um questionamento menos frequente, mas que também existe na mente de alguns candidatos é o porquê de quando se envia um currículo, mas não se candidata a uma vaga específica, a empresa não dá um retorno para dizer qual vaga o candidato poderia ser aproveitado. A realidade é que a empresa não busca uma vaga para os candidatos que se inscrevem, mas busca candidatos para as vagas em aberto. Ou seja, quando uma nova vaga é criada ou fica disponível na empresa, os recrutadores buscam no banco de currículos aqueles candidatos que são mais adequados para a vaga em questão.

O conselho que posso te dar para este momento inicial é confiar que seu currículo foi recebido e continuar buscando novas oportunidades em outras empresas. Se no decorrer de alguns meses seu CV sofrer alterações significativas devido a novos cursos relevantes ou alguma nova experiência, atualize-o e mande novamente. Você não precisa mandar seu currículo mensalmente, nem semanalmente e muito menos a cada 2 dias. Sim, tem muitos candidatos que fazem isso e pode confiar que é desnecessária tanta insistência.

Agora vamos entender melhor a principal fonte de angustia ou raiva por parte dos candidatos em processos seletivos e desconfio que até mesmo de sapos terem sua boca preenchida com nomes de profissionais de RH. Quais os possíveis motivos para as empresas não darem retorno após um processo seletivo e como lidar com esse tipo de situação?

“Existem empresas/profissionais que não tem consideração pelos candidatos e por isso acabam não se importando em dar retorno?!” Sim, infelizmente existem, mas nem sempre que a falta de retorno acontece por este motivo. Então vamos às outras possibilidades:

1. Diversas vagas sendo trabalhadas ao mesmo tempo

Texto originalmente publicado no site Superela. Continue lendo aqui!

Este texto também foi publicado pelo site Catraca Livre.

Crédito da Imagem: Pinterest


  • 0
11-errros-fatais-que-voce-nao-pode-cometer-no-seu-curriculo

[SUPERELA] 11 erros fatais que você não pode cometer no seu currículo

11-errros-fatais-que-voce-nao-pode-cometer-no-seu-curriculo

Ao longo da minha carreira em RH sempre vi pessoas cometendo os mesmos erros fatais ao elaborarem seus currículos. Quando me deparava com um ou mais desses erros, eu tinha vontade de pegar o telefone ou escrever um e-mail para ajudá-las a corrigir o(s) deslize(s) em seu currículo (CV) – que, provavelmente, impediam elas de serem chamadas para entrevistas.

O volume de trabalho era muito e o tempo disponível para poder ajudar quem estava errando era pouco, ou melhor, nenhum. E, com isso, o sentimento de que precisava fazer algo era sempre presente. Bom, o tempo passou e agora posso me dedicar a ajudar quem está precisando para que não cometa mais esses erros. Por favor, prometa que você NUNCA MAIS vai fazer o que listo abaixo, ok? Se você vai enviar seu CV hoje ou ainda nesta semana, pare! Leia cada um desses 11 erros, verifique se não está cometendo algum deles e corrija seu documento imediatamente.

1. Objetivo

De longe, esse é o erro mais comum.

As pessoas imaginam que nessa parte é para colocar uma mensagem no melhor estilo “declaração de amor” para a empresa. Com isso, cansei de ler coisas do tipo: “desejo trabalhar nesta magnífica, conceituada e extraordinária empresa”, ou “pretendo fazer um trabalho maravilhoso para essa formidável companhia, com o objetivo de me tornar o profissional mais inigualável de todo universo”, ou “meu objetivo é crescer infinitamente dentro dessa extraordinária empresa e fazê-la crescer ainda mais”.

Ok, confesso que exagerei um pouco nos adjetivos, mas a ideia no fundo é sempre essa: bajular a empresa e dizer o quanto o trabalho do profissional é indispensável. Porém, o que espera-se que seja preenchido nessa parte é simplesmente qual o(s) cargo(s) ou área(s) que se deseja trabalhar (não mais que dois). E esses cargos ou áreas precisam estar relacionados entre si para não parecer que o profissional está perdido tentando trabalhar em qualquer vaga que aparecer.

2. Colocar o número dos documentos no CV:

A empresa só precisará saber do número dos seus documentos SE ela te contratar ou se for solicitado. Caso contrario, não há nenhuma necessidade de você colocar o número de todos os seus documentos no CV. Essa prática também não é segura – visto que seu currículo pode ser extraviado e quem encontrá-lo terá o número de todos os seus documentos para fazer o uso que quiser.

3. Endereço de e-mail nada formal ou nem um pouco profissional

Na minha opinião, este é um dos erros mais bizarros em currículos. Como alguém tem coragem de usar endereços de e-mails, como: “gatinhagostosa@…..” ou “lulubaladeira@….” Ou “lorinhafogosa@…..” ? Se eu já vi endereços como esses que citei em currículos?! Sim! E era disso para pior.

Use endereços de e-mail com seu nome ou com palavras neutras. Nada de usar apelidinhos estranhos e principalmente que passem uma imagem totalmente informal e nada profissional ao seu respeito.

4. Currículo muito longo:

Seu currículo é para ser um resumo dos fatos mais relevantes em sua história profissional, não um livro de toda sua vida. Para quem está no início da vida profissional, ou seja, não tem muito anos de experiência, ou não tem experiência em diferentes cargos e/ou empresas, uma página é mais que o suficiente. Para profissionais mais experientes, 2 páginas são suficientes.

5. Período de experiência não está claro

A pessoa resolve colocar o tempo total que trabalhou na empresa. Por exemplo:
Empresa X
Período: 1 ano e 8 meses
Empresa Y Período: 7 meses

Dessa forma, não se consegue entender se ela está ou não trabalhando e qual experiência é mais recente ou antiga.A maneira correta de colocar essa informação no currículo é a seguinte: Mês/ano de início – Mês/ano de saída ou atual (se ainda estiver trabalhando).

6. Ordem das experiências profissionais

Texto originalmente publicado no site Superela. Continue lendo aqui!

Este texto também foi publicado pelo site Catraca Livre.

Crédito da Imagem: Pinterest


  • 4
Pretensão salarial

Pretensão Salarial: Você sabe o que responder?

Pretensão salarial

Você está cadastrando o seu CV no site de uma empresa ou seguindo as instruções de como enviar por e-mail ou até mesmo durante uma entrevista de emprego, e num dado momento está lá a pergunta temida por muitos: Qual a sua pretensão salarial?

E agora!? Você sabe como responder esta pergunta da melhor maneira, sem correr o risco de desperdiçar a oportunidade que está concorrendo?

Para começar, vamos entender o motivo de muitas empresas perguntarem essa informação ao invés de apenas informar qual salário pagarão por aquela vaga.

A informação salarial é confidencial
Pode não parecer, já que muitos profissionais não veem problema em comentar sobre seu salário ou remuneração com os colegas, mas as empresas possuem a responsabilidade de manter sigilo sobre estas informações.

Caso divulgue uma vaga em aberto, ou seja, com o nome da empresa, cargo e salário, essa informação deixará de ser sigilosa tanto para os funcionários da empresa quanto para os concorrentes. E isso também é um ponto importante, as informações de salário e remuneração são estratégicas para uma empresa e nenhuma delas deseja que seus concorrentes saibam exatamente quanto pagam para seus funcionários.

Dito isto, agora você consegue entender que a pergunta sobre a pretensão salarial não é uma “brincadeira do tipo está quente ou está frio”.

Outra informação importante, é que algumas empresas trabalham com uma faixa de salário para uma determinada vaga e ao perguntar sobre a expectativa do candidato, ela poderá tentar se adequar a isto, caso o valor seja justo e não distorça a estrutura salarial já estabelecida dentro da empresa.

Qual a maneira mais adequada de informar a pretensão salarial?
Para começar, só entre neste assunto se for perguntado.

A mesma lógica vale para colocar esta informação no CV. Só coloque se empresa solicitar.

Caso chegue ao final da entrevista e você já sabe as informações mais importantes sobre a empresa, a vaga, equipe, etc, e quem estiver entrevistando não tiver entrado no assunto ainda, vale a pena perguntar se pode ser informado o salário e benefícios para a vaga.

Quando o entrevistado pergunta logo de início sobre o salário e benefícios, da a impressão de que o foco dele é apenas no dinheiro.

Ok, todos nós desejamos ter dinheiro para pagar as nossas contas e realizar nossos sonhos, mas profissionais que desejam realizar um trabalho que traga um impacto positivo para as empresas, em geral buscam um conjunto de fatores numa vaga que vai além da remuneração. Demonstrar que você também é esse tipo de profissional te trará mais pontos no processo seletivo.

Chegou o momento de você responder a “temida” pergunta e a maneira de respondê-la vai depender do seu objetivo. Se você tiver que enviar sua pretensão por escrito, junto com o seu currículo, pense bastante no valor que irá informar, pois será mais difícil negociá-lo posteriormente. Utilize as expressões que demonstrem flexibilidade no valor, conforme explicado mais adiante.

Veja algumas possibilidades abaixo:

Você já está ganhando uma remuneração equivalente a média de mercado (ou próximo) e só aceitaria mudar de emprego para receber um valor maior – Neste caso, o ideal é que sua pretensão salarial seja equivalente ao seu salário atual com um acréscimo de 20%. O mercado entende que os profissionais pedem aproximadamente 20% a mais para compensar o risco de trocar de emprego.

Você está desempregado(a) e é flexível com o valor a receber em comparação com o salário anterior – Neste tipo de situação o ideal é você informar o salário anterior e dizer que a sua pretensão é negociável baseada neste valor. Porém, é importante que você tenha clareza sobre qual seria o valor mínimo que estaria disposto a aceitar. Aceitar qualquer valor de salário para não ficar desempregado e perceber em pouco tempo que ele não é suficiente para cobrir suas despesas, além de ser uma situação desagradável, também não é benéfico para sua carreira fazer uma mudança de emprego em tão pouco tempo.

Você está trabalhando, mas deseja concorrer a uma vaga numa área diferente – Este caso é, de certa forma, um “mix” das duas situações anteriores. Você já tem uma remuneração e provavelmente gostaria de mantê-la, mas ao optar por mudar de área, você deve se lembrar que estará concorrendo com pessoas que terão maior experiência que você na área em questão.
O que fazer, então?
Diante deste tipo de situação o recomendado é você ser flexível com a sua proposta. Se a média de salário na nova área for equivalente ao seu salário atual, você precisará demonstrar para o entrevistador que está disposto a ganhar menos, se for necessário, para ter a oportunidade de iniciar numa nova área. Assim como na situação anterior, é importante que você tenha clareza sobre o qual o valor mínimo aceitável.

Para que a conversa abra espaço para uma negociação de fato, é importante que você não informe o valor desejado de forma taxativa, ou seja, use expressões que demonstrem uma certa flexibilidade no valor como: “Aproximadamente”, “em torno de”, “na faixa de” e etc.

Para saber a média salarial de profissionais no mesmo cargo que você e com a mesma experiência, busque tabelas salariais elaboradas por empresas sérias. Algumas delas divulgam anualmente pesquisa salarial de diversos cargos e comparando-os com empresas de diferentes portes (pequenas, médias e grandes).

Veja algumas dessas pesquisas abaixo:

– Robert Half
– Catho
– Curriculum

Espero que agora você se sinta mais preparado e seguro para responder sobre sua pretensão salarial.

As 3 situações que listei acima são as que mais recebo pedido de orientação. Se você ainda ficou com alguma dúvida ou tem uma situação diferente, na qual as orientações anteriores não se encaixariam, coloque nos comentários que terei o maior prazer em te ajudar. 😉

Crédito da Imagem: Pixabay


  • 3
ENVIAR SEU CV DIRETAMENTE PARA PESSOAS DO RH DE UMA EMPRESA PODE NÃO SER UMA BOA IDEIA

Enviar seu CV diretamente para pessoas do RH de uma empresa pode não ser uma boa ideia

ENVIAR SEU CV DIRETAMENTE PARA PESSOAS DO RH DE UMA EMPRESA PODE NÃO SER UMA BOA IDEIA

VOCÊS SABIAM QUE ENVIAR SEU CV DIRETAMENTE PARA PESSOAS DO RH DE UMA EMPRESA PODE NÃO SER UMA BOA IDEIA?? 😳😱

Pois é…. Calma que vou explicar o motivo e em quais situações isto não é uma boa ideia.

Quando você manda seu currículo para alguém do RH e essa pessoa está informada de que receberá seu CV e está esperando por ele, não há problema algum. Esse CV será lido e, se for o caso, você será convidado para algum processo seletivo.

Agora vem a situação delicada…. Quando você manda seu currículo, que preparou com todo carinho e cuidado, para alguém do RH que NÃO ESTÁ ESPERANDO RECEBÊ-LO, não sabe quem é você e pior quando você envia este mesmo currículo MAIS DE UMA VEZ POR MÊS E ATÉ MESMO MAIS DE UMA VEZ POR SEMANA (Sim, pessoal, isso acontece com muuuuuita frequência), quem o recebe pode simplesmente não dar a devida importância. Pior ainda quando você envia seu CV para alguém que trabalhe no RH, mas não é responsável pelo recrutamento e seleção.

Não, as pessoas do RH não são monstros insensíveis e malvados como está passando por sua cabeça agora. O que acontece de fato é que existem dezenas de candidatos fazendo isto também. Em ano de economia em recessão, vocês podem imaginar que essas dezenas aumentaram consideravelmente, né?

Então, os profissionais de RH ligados ao recrutamento e seleção em geral tem outras atribuições além de receber os currículos, analisar se estão de acordo com as vagas em aberto, marcar entrevistas, etc. E usam seus e-mail de trabalho para essas outras atividades. Quando eles começam a receber uma quantidade elevada de CV`s não solicitados junto com e-mails mais urgentes, seu CV pode nem ser visualizado e no pior dos casos, nem ser considerado para processos seletivos. Principalmente se você for um daqueles casos insistentes que enviam CV toda hora.

Como fazer, então?

👉 Certifique-se qual é o canal usado pela empresa para receber o CV e use!

👉 Muitas vezes existe um e-mail específico para receber currículos, então mande para lá.

👉 Muitas empresas investem um BOM DINHEIRO para ter sistemas de gestão de currículos e processos seletivos. Geralmente você descobre isso acessando o site da empresa e indo na link “trabalhe conosco” ou “cadastre aqui seu currículo”. Pode confiar, isso funciona mesmo!!!! É muito mais provável da empresa ler seu CV vindo desta maneira do que pelo e-mail de alguém do RH. Outra vantagem é que alguns destes sistemas também avisam para o candidato quando há vagas em aberto e ele pode escolher se quer ou não se candidatar àquele processo.

👉 Se for mandar para alguém do RH, certifique-se de que está mandado para quem cuida dos processos seletivos ou que esta pessoa irá repassar para quem cuida. Caso contrário você já pode imaginar para onde seu CV vai… Também certifique-se de que esta pessoa está esperando seu CV, ou por você ter entrado em contato antes avisando que enviaria o currículo ou caso você tenha algum contato dentro da empresa que avise a pessoa que receberá o CV.

👉 Seu currículo só deve ser enviado novamente para uma empresa quando houver atualizações significativas. Mesmo nos casos de enviar para o e-mail exclusivo de recebimento de CV`s. Não seja o “chato-insistente-desesperado”! As pessoas ficam desconfiadas com esse tipo de atitude.

🎁 Para finalizar, uma DICA BÔNUS!!! Não adicione profissionais de RH na sua rede de contatos do LinkedIn e em seguida simplesmente envie seu CV para o e-mail deles, sem estabelecimento de nenhum contato ou vínculo para se certificar de que eles estão abertos para receberem seu CV. Em muitos casos o e-mail cadastrado no LinkedIn é o pessoal (como no meu caso), é relativamente incomodo receber um e-mail com um currículo não solicitado (como é no meu caso) e a pessoa pode apagar seu CV, sem nem mesmo abrir o arquivo por medo de ser um virus (como também é meu caso). 😀

Espero que essas dicas possam te ajudar a ter mais facilidade de ser chamado para um processo seletivo.


  • 0
entrevista-de-emprego

#RealizaSonhoResponde 01 – Fugindo dos clichês

Conforme prometido, hoje responderemos a primeira pergunta do #RealizaSonhoResponde.

Pergunta: “Estou enviando meu currículo para uma empresa e tenho que responder por que quero trabalhar nela. Como responder isso de forma bonita?”

Vamos lá … Responder uma pergunta como esta certamente não é fácil e ao respondermos o objetivo não deverá ser “dar uma resposta bonita para a empresa”, mas sim algo pessoal e autêntico. Sendo bem sincera com vocês, as empresas já estão cansadas de receber respostas clichês (frase repetitiva e sem originalidade) como nesse vídeo aqui. Desta forma, responder que quer trabalhar lá, pois “a empresa é conceituada e estabelecida no mercado”, ou “porque você quer se desenvolver profissionalmente e a empresa”, ou “por ser uma ótima oportunidade de mostrar todos os seus talentos e potencial”, continua sendo uma resposta clichê, pois vários candidatos dizem a mesmíssima coisa e no fundo você não está dizendo muita coisa e nem mesmo o que você pensa de verdade sobre a empresa ou a vaga em questão.

Como responder, então?

Pense no seguinte: alguma coisa atraiu você para aquela vaga ou empresa. Tá! Só não vale dizer que é a crise e você está desempregado. Algo, além disso, deve ter chamado a sua atenção. Alguma coisa na descrição da vaga ou do que você sabe sobre a empresa. Se você sabe pouco sobre a empresa, pare por um instante o que está fazendo e pesquise até achar algo que chame a sua atenção. Uma resposta boa e original dependerá disso.

Achou algo interessante na vaga e/ou na empresa que tem a ver com você, com seus valores, com a sua experiência ou sua expectativa? Ótimo! Use isso a seu favor na hora de responder. Por exemplo: A vaga é para trabalhar numa cidade que você deseja morar. Diga isso na resposta. Que além das atividades X, Y e Z da vaga que você gosta de fazer, você tem interesse em morar naquela cidade.

Você ficou um tempo trabalhando como autônomo e sente falta da rotina e dinâmica de trabalhar numa empresa? Diga isso na resposta. Diga que apesar de trabalhar como autônomo, você percebeu que se identifica mais com a rotina de trabalho de uma empresa e coloque suas razões para isso. Neste caso em questão, você ainda tranquilizará quem estiver te selecionando sobre a possibilidade de querer juntar um dinheiro para logo voltar a ser autônomo.

Perceberam a diferença? Crie a sua resposta da maneira mais pessoal, autêntica e adequada possível. Se você fizer isso, pode ter certeza que sua resposta vai soar diferente para quem lê, pois o mais comum é receber aquelas respostas lá de cima. Diferente delas, a sua resposta demonstrará o que você pensa verdadeiramente sobre a empresa e/ou vaga, que você refletiu um pouco para responder e não apenas “copiou e colou” o que todo mundo acha que tem que responder.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre esse assunto? Coloque nos comentários para que eu possa te ajudar.

Crédito da Imagem: Freepik


Cadastre-se e receba dicas sobre carreira

Procure aqui